20 de jan de 2010

Considerações sobre o Tricotar

Sempre dou uma passada para conferir o que tem nos blogs tricoteiros por ai e a última postagem da Grace Burns do http://www.astramasdemilady.blospot.com/
me chamou muito a atenção.

Concordo plenamente com as palavras usadas pela Grace para definir o fazer-aprender-sentir o tricô. Tricotar é um verbo amplo. Teia-se, uni-se, cria-se e amplia-se redes.

Vou chamar de os Dez Mandamentos sobre o Tricô, que foram bem definidos por ela. Me identifiquei muito com a forma descrita sobre o saborear o tricô, como algo prazeiroso, simples e práxi terapêutico... Um tricô catártico*¹, como poderia assim considerar Anna Freud*², enquanto tricotava e ouvia seus pacientes no divã, regados pela escuta psicanalítica e sua Atenção Flutuante*³.
Assim diz Grace nas suas palavras à la Milady, confiram no Post:

http://astramasdemilady.blogspot.com/2010/01/recomecar-e-preciso.html


*1 Catártico: Método utilizado por Freud, para o paciente livrar-se de algo que lhe encomoda.
*2 Anna Freud: Sexta filha de Freud da qual seguiu a Psicanálise como o pai. Tricotava durante as sessões, considerando que o tricô facilitava a escuta diante do que o paciente dizia.
*3 Atenção Flutuante: Captação do que o paciente fala por parte do psicoterapeuta, sem críticas ou algo pré-concebido.

3 comentários:

Rosa Azul disse...

Eita que a até o tricô Freud explica??

Milady disse...

Junia, menina linda,
Você captou perfeitamente a mensagem que deixei no blog.
Tricotar deveria ser visto como algo prazeroso, relaxante, produtivo sem ser opressivo, mas tenho observado que muitas pessoas se angustiam porque não conseguem fazer algo, ou porque não podem comprar um fio importado ou agulha de 'grife'. Sinto saudades dos tempos em se faziam coisas para a própria satisfação e não para competir...
Um abraço muito afetuoso e que 2010 seja um ano coroado de sucessos pessoais.
Grace

Que fas(z)e? disse...

Olá!

Gostei muito do seu blog! Quanta coisa bonita, menina!

Depois me faça uma visitinha, meu blog é modesto mas é bonito!

Bjokas